Review: Iggy’s Egg Adventure

0
242

Vamos pular a história e falar da jogabilidade?

Para não falar que fui injusto com Iggy’s Egg Adventure, deixarei este parágrafo para falar um pouco sobre a história do game. Assumimos o papel de Iggy, um filhote de velociraptor alaranjado e deveras fofo, que deve ir atrás de sua mãe, raptada pelos homens pré-históricos. Durante sua jornada, Iggy poderá ter a ajuda de filhotes de outras espécies, os quais coloquei em minha cabeça serem amigos do pequeno Iggy.

Agora sim: jogabilidade

Adotando o gênero plataforma, Iggy’s Egg Adventure proporciona aos jogadores uma experiência saudosista, que busca encantá-los ao acionar antigas memórias. Durante as jogatinas, é muito provável que o jogador, sendo ele “das antigas”, irá se lembrar dos momentos em que pegava uma vida e caía em um abismo jogando Mario Bros, ou pegava bananas e balões em Donkey Kong. É impossível não comparar Iggy’s Egg com tais games, pois são do mesmo gênero. E isso é algo extremamente positivo. A sensação de se estar jogando um “típico jogo com o selo Nintendo” é muito forte, aumentando ainda mais o carisma do jogo.

366040_screenshots_2015-08-28_00004

Para passar as fases, é (quase) simples: corra do início ao fim, mas cuidado com os inúmeros abismos, as plataformas que caem ao serem tocadas e os objetos que ferem Iggy. É preciso tomar cuidado também com os inimigos. Quase simples. E é isso que torna o game divertido. Os desafios de cada nível são bem elaborados, oferecendo variedade ao jogador. Isso se reflete, principalmente, nos inimigos. Iggy pode derrota-los pulando em cima deles, ou atacando-os pela frente. Mas cada inimigo possui sua defesa, exigindo que o jogador pense antes de agir. Não é apenas na base do impulso. Correr desenfreadamente apenas aumenta as chances de derrota do pequeno dinossauro.

Não bastando os inimigos comuns, como escorpiões, homens das cavernas armados com tacapes e hienas, há também os chefes. Nenhum deles oferece um nível de desafio elevado (com exceção do Tiranossauro Rex), mas contribuem para o fator novidade do jogo.

Completando os desafios, cada fase oferece cinco ovos grandes de dinossauro para serem coletados. Estes ovos servem para desbloquear novas cores e personagens. São outros quatro personagens disponíveis para desbloqueio: Patrick, Phredrick, Peery e Terry, e cada um oferece habilidades próprias aos jogadores.

366040_screenshots_2015-08-28_00009

Um dos problemas de Iggy’s Egg Adventure se encontra, infelizmente, em sua jogabilidade. Os pulos exigem um nível de precisão muito alto. Pressionar o botão por mais tempo, significa que o protagonista irá pular mais alto, e nós podemos controlar, ainda que minimamente, sua queda. Tudo bem até aqui, não fosse o fato de que as quedas são extremamente lentas. É como se Iggy não tivesse peso, e planasse por alguns milésimos antes de iniciar seu processo moroso de queda. É algo que exige “costume” do jogador, mas que proporciona uma boa dose de frustração, podendo até mesmo afugentar novatos do gênero plataforma.

Beleza visual e sonora oscilantes

O trabalho artístico de Iggy’s Egg Adventure é incrível, com gráficos bonitos e detalhados, adotando um estilo quase cartunesco. As cores vibrantes e intensas contrastam com a fofura dos personagens, trazendo vida a cada um deles. Tais qualidades ficam ainda mais evidentes com a grande variedade de cenários e um número legal de personagens diferentes que encontramos.

366040_screenshots_2015-08-28_00006

A parte negativa fica por conta de um bug que faz com que alguns personagens (geralmente os homens das cavernas) fiquem com uma tonalidade de cor escura, como se estivessem cobertos de carvão. Não compromete a qualidade gráfica de maneira drástica, mas é algo constante e que merece atenção dos desenvolvedores para que seja corrigido.

As músicas são incríveis, podendo se tornar grudentas a medida que vamos jogando. Melodias que combinam muito bem com o clima leve do jogo. Por outro lado, os efeitos sonoros são fracos, principalmente quando derrotamos um inimigo. É como se estivéssemos estourando um pacote de salgadinhos cheio de ar, e o barulho saiu abafado. Poderia ser algo mais cômico, o que se encaixaria com o tom do restante do game.

Leve crise de identidade visual

O que gostaria de citar aqui é o fato de Iggy’s Egg Adventure se manter “em cima do muro” quanto ao seu estilo. Ao mesmo tempo que adota um visual mais simples, cartunesco e fofo, o jogo também traz elementos mais sérios, como o sangue que jorra dos inimigos, manchando seus corpos dilacerados pelo inocente filhote de velociraptor. Teria sido mais prudente se o game tivesse adotado apenas um estilo visual, e dado ao tom que presenciei em minhas jogatinas, acredito que um estilo completamente cômico teria sido a melhor escolha.

Iggy’s Egg Adventure pode possuir seus problemas, mas não pode ser ignorado. É um game feito por duas pessoas, em um desenvolvimento que durou dois anos. Dois anos de trabalho árduo que renderam um game de plataforma desafiante, sólido na medida do que lhe é possível e, o mais importante, divertido. Saudosistas, sejam bem-vindos. E novatos, não desistam no primeiro game-over.

Gênero: Plataforma, Aventura, Indie
Desenvolvedor: Ginger Labs LLC
Distribuidora: Ginger Labs LLC
Data de lançamento: 27/ago/2015

Deixe uma resposta