Review: Battlefield Hardline

0
405

Mais um game da série Battlefield. Carregando o peso de trazer novidades à série, Hardline chega substituindo os tanques de guerra por super carros e camburões. Saem os soldados, entram os bandidos e os policiais. Uma ideia promissora, que consegue sustentar sua proposta.

Uma campanha melhor, mas não a ideal

Uma das principais falhas nos dois últimos títulos da série Battlefield se encontrava na campanha. Tanto Battlefield 3 quanto Battlefield 4 ofereceram campanhas curtas e com histórias rasas, servindo apenas de motivo para que os tiroteios demonstrassem o poder gráfico dos títulos.

Estilo Netflix

Estilo Netflix

Hardline adota um estilo de seriado de TV para contar sua história. No papel de Nick Mendoza, um policial de Miami, temos de lidar com traficantes, corrupção, intrigas e reviravoltas. O grande problema para a história fica por conta do ritmo acelerado em que ela é contada. As fases não chegam a ser grandes e, como o game possui apenas dez episódios, o desenvolvimento dos personagens acaba sofrendo com isso, principalmente Mendoza. A falta de carisma do personagem não ajuda a nos importarmos com ele, e sua história levemente pincelada nas telas acaba prejudicando ainda mais esse fortalecimento de laço entre o jogador e o protagonista do game.

Ainda é Battlefield

A jogabilidade é muito boa, com algumas pequenas alterações em relação aos títulos anteriores. É possível escolher como avançar na maioria dos trechos. Podemos ser o Rambo e atirar como loucos, ou podemos ir na surdina, distraindo os inimigos, nocauteando-os e até mesmo dando voz de prisão. Agir como um bom policial evitando uso de armas letais ajuda a ganharmos pontos de reputação, e conforme evoluímos destravamos novos equipamentos para o modo campanha.

Battlefield™ Hardline_20150320204437

Tudo isso está um pouco mais cadenciado, mais lento. Considerando a temática de Hardline, é compreensível essa diferença. As escalas dos conflitos são menores, assim como a da maioria das fases. Seria estranho assumir o papel de um policial e ele sair por aí correndo como louco e explodindo tudo que visse pela frente. Isso ficou para os “supersoldados patriotas” dos outros games da franquia. Mas não se deixem enganar. Ao pegar o controle, sentirão que estão jogando Battlefield. É difícil explicar, mas essa sensação existe.

Tem como dar mute no protagonista?

Battlefield Hardline foi completamente localizado para o Brasil.Ou seja, legendas e dublagens estão em português brasileiro. A grande maioria das vozes está com uma dublagem muito boa. Dou o destaque para Khai, nossa parceira em campo, que tem uma voz brasuca que será reconhecida por muitos.

Mas o personagem mais importante de todos é o que tem a pior dublagem. Por alguma razão, chamaram o cantor Roger Moreira, da banda Ultraje a Rigor, para dar voz ao protagonista Nick Mendoza. É sofrível o trabalho que o cantor desempenha. Em diversos momentos, a entonação da voz e a intepretação das falas não condiz com o que vemos na tela. Eu entendo que as dublagens brasileiras de games são feitas, na maioria das vezes (se não forem todas), sem as imagens do jogo. Mas um dublador profissional tem de ser ator profissional, afinal a dublagem é um ramo da atuação. Ou seja, mesmo sem a imagem, um dublador experiente e de ofício saberia interpretar a situação que está no roteiro. No vídeo abaixo vocês poderão ver um trecho da dublagem de Roger. Tirem suas conclusões.

Assaltos e explosões online

O sempre grandioso multiplayer, motivo da maioria dos jogadores adquirirem um Battlefield, se encontra ótimo como sempre, e com muito menos bugs em seu lançamento do que Battlefield 4. O game conta com quatro classes, cada uma possuindo seu arsenal e equipamentos próprios. À medida que vamos pontuando nas partidas, ganhamos dinheiro para comprar novos brinquedos. Isso ajuda a balancear um pouco entre aqueles que jogam pouco e os que jogam muito. Fizeram alterações nos nomes das classes, mas nada que tenha mudado muito o grosso do jogo.

Battlefield™ Hardline_20150321030040

O game conta com oito modos, incluindo os clássicos Conquest e Team Deathmatch, e novidades como Heist, Hotwire e Blood Money. Em Heist, temos de impedir que os ladrões roubem duas malas de dinheiro. Funciona como o antigo modo Rush. Em Hotwire, devemos pilotar carros marcados no mapa para pontuar. E o melhor deles na minha opinião, Blood Money, devemos saquear uma pilha de dinheiro neutra para pontuar, podendo furtar do cofre inimigo também, na tentativa de diminuir as chances de vitória do time oposto. O multiplayer é caótico, podendo ser jogado por até 64 pessoas, mas tem menos destruição de cenário do que Battlefield 4. Acredito que isso seja por conta do poder de fogo reduzido dos policiais e ladrões. Ou seja, sem bazucas para todos os lados.

Com uma campanha curta, porém mais interessante que as de seus antecessores, e um multiplayer sólido e divertido, Hardline cumpre sua proposta de ser uma novidade para a franquia Battlefield. Pode não ser o jogo perfeito, mas com toda certeza é divertido.

[review]

Deixe uma resposta