Friends

Reunião de Friends “talvez” aconteça

0
141

Friends, o icônico programa de TV da NBC dos anos 90 e início dos anos 2000, está voltando para uma reunião especial . O executivo da NBC Kevin Reilly agora forneceu uma atualização de status no projeto e não é a melhor notícia para os fãs.

Falando em um evento da Television Critics Association nesta semana, Reilly confirmou que estão em andamento discussões com o elenco e os criadores para trazer Friends de volta para um especial. No entanto, nada está confirmado ainda. A possibilidade do especial da reunião continua sendo um “talvez”, enquanto a rede luta para encontrar uma maneira de começar o projeto.

“Há interesse por toda parte e ainda assim não conseguimos alinhar esse interesse para pressionar o botão”, disse ele, de acordo com o The Hollywood Reporter . “Hoje, infelizmente, ainda é um talvez.”

Friends

Friends apresenta Jennifer Aniston, Courteney Cox, Lisa Kudrow, Matt LeBlanc, David Schwimmer e Matthew Perry nos papéis que definem a carreira de seis amigos de Nova York.

O Friends original foi produzido pela Warner Bros. TV e exibido na NBC. O novo show de reunião, se acontecer, seria feito para a HBO Max, apoiada pela Warner. Essa plataforma será lançada no final de 2020 e planeja cobrar U$ 15 / mês pelo acesso a um catálogo de programas e filmes antigos, bem como novos conteúdos originais.

Friends deixaram a Netflix no final de 2019 e serão transferidos para a HBO Max quando for lançada. A WarnerMedia pagou U$ 85 milhões por ano para obter a série por um período de cinco anos.

As criadoras da série Marta Kauffman e David Crane disseram há muito tempo que não querem um reboot de Friends, mas esse novo programa parece ser um especial único. Em outubro de 2019, Aniston disse a Ellen Degeneres que algo novo para Friends estava em andamento. “Estamos trabalhando em algo“, disse Aniston.

A partir de 2015, o programa recebia U$ 1 bilhão todos os anos em distribuição, com todas as principais estrelas ganhando U$ 20 milhões por ano com base em sua participação de 2% na receita de distribuição, de acordo com o USA Today.

Deixe uma resposta